skip to Main Content

Paciente internado no HGR segue para cirurgia cardíaca

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.
[:pb]Texto Wanessa Carvalho do Portal do Estado de Roraima

Na última sexta-feira, 15, a UTI Aérea, custeada pelo Governo de Roraima, transportou até o Real Hospital Português de Beneficência, em Pernambuco, o paciente Gilson Nunes, de 36 anos. Ele estava internado no HGR (Hospital Geral de Roraima), onde foram esgotadas todas as possibilidades para o seu tratamento em Roraima.

De acordo com a diretora do Departamento de Regulação da Sesau (Secretaria Estadual de Saúde), Lidiane Bissi, a recomendação médica seguida foi de que o paciente não teria condições para embarcar em voo comum, por estar com a saúde bastante debilitada. “Ele tem indicação cirúrgica cardíaca de alta complexidade em caráter de urgência”, informou.

A equipe da UTI Aérea é formada por um piloto, um copiloto, um médico e um enfermeiro. Os equipamentos e instrumentos, com tecnologia de ponta, são disponibilizados a bordo das aeronaves de acordo com as necessidades de cada paciente.

Segundo Bissi, o paciente transferido pela UTI no ar viaja com um acompanhante e quando chega ao Estado onde será feito o tratamento, outra equipe já está esperando para fazer a transferência do paciente para a unidade de saúde. “O Estado oferece total assistência ao paciente removido”, frisou a diretora.

Lidiane ressalta ainda que enquanto esteve internado no HGR, Gilson Nunes recebeu todos os cuidados médicos necessários, quando então foi identificado que as possibilidades de tratamento em Roraima foram esgotadas. “Abrimos um processo de TFD [Tratamento Fora do Domicílio] tão logo foi solicitado, e desde então aguardávamos a resposta de vaga de UTI em hospital referência para o tratamento do paciente”, contou.

O paciente, que é professor, deu entrada no HGR apresentando odinofagia – dor durante a deglutição enquanto o alimento está passando pelo esôfago para chegar ao estômago, dor torácica e desconforto percebido em diversas formas e com localização na região anterior ou posterior do tórax, apresentando sudorese.

Esta é a terceira remoção realizada pela UTI aérea este ano. A primeira ocorreu em janeiro e a segunda, em fevereiro. Em 2015, o Governo do Estado disponibilizou 12 remoções de pacientes por meio da UTI Aérea.

Link original da matéria: http://www.portal.rr.gov.br/[:en]Texto Wanessa Carvalho do Portal do Estado de Roraima

Foto: Francisco Oliveira

Foto: Francisco Oliveira

Na última sexta-feira, 15, a UTI Aérea, custeada pelo Governo de Roraima, transportou até o Real Hospital Português de Beneficência, em Pernambuco, o paciente Gilson Nunes, de 36 anos. Ele estava internado no HGR (Hospital Geral de Roraima), onde foram esgotadas todas as possibilidades para o seu tratamento em Roraima.

De acordo com a diretora do Departamento de Regulação da Sesau (Secretaria Estadual de Saúde), Lidiane Bissi, a recomendação médica seguida foi de que o paciente não teria condições para embarcar em voo comum, por estar com a saúde bastante debilitada. “Ele tem indicação cirúrgica cardíaca de alta complexidade em caráter de urgência”, informou.

A equipe da UTI Aérea é formada por um piloto, um copiloto, um médico e um enfermeiro. Os equipamentos e instrumentos, com tecnologia de ponta, são disponibilizados a bordo das aeronaves de acordo com as necessidades de cada paciente.

Segundo Bissi, o paciente transferido pela UTI no ar viaja com um acompanhante e quando chega ao Estado onde será feito o tratamento, outra equipe já está esperando para fazer a transferência do paciente para a unidade de saúde. “O Estado oferece total assistência ao paciente removido”, frisou a diretora.

Lidiane ressalta ainda que enquanto esteve internado no HGR, Gilson Nunes recebeu todos os cuidados médicos necessários, quando então foi identificado que as possibilidades de tratamento em Roraima foram esgotadas. “Abrimos um processo de TFD [Tratamento Fora do Domicílio] tão logo foi solicitado, e desde então aguardávamos a resposta de vaga de UTI em hospital referência para o tratamento do paciente”, contou.

O paciente, que é professor, deu entrada no HGR apresentando odinofagia – dor durante a deglutição enquanto o alimento está passando pelo esôfago para chegar ao estômago, dor torácica e desconforto percebido em diversas formas e com localização na região anterior ou posterior do tórax, apresentando sudorese.

Esta é a terceira remoção realizada pela UTI aérea este ano. A primeira ocorreu em janeiro e a segunda, em fevereiro. Em 2015, o Governo do Estado disponibilizou 12 remoções de pacientes por meio da UTI Aérea.

Link original da matéria: http://www.portal.rr.gov.br/[:es]Texto Wanessa Carvalho do Portal do Estado de Roraima

Foto: Francisco Oliveira

Foto: Francisco Oliveira

Na última sexta-feira, 15, a UTI Aérea, custeada pelo Governo de Roraima, transportou até o Real Hospital Português de Beneficência, em Pernambuco, o paciente Gilson Nunes, de 36 anos. Ele estava internado no HGR (Hospital Geral de Roraima), onde foram esgotadas todas as possibilidades para o seu tratamento em Roraima.

De acordo com a diretora do Departamento de Regulação da Sesau (Secretaria Estadual de Saúde), Lidiane Bissi, a recomendação médica seguida foi de que o paciente não teria condições para embarcar em voo comum, por estar com a saúde bastante debilitada. “Ele tem indicação cirúrgica cardíaca de alta complexidade em caráter de urgência”, informou.

A equipe da UTI Aérea é formada por um piloto, um copiloto, um médico e um enfermeiro. Os equipamentos e instrumentos, com tecnologia de ponta, são disponibilizados a bordo das aeronaves de acordo com as necessidades de cada paciente.

Segundo Bissi, o paciente transferido pela UTI no ar viaja com um acompanhante e quando chega ao Estado onde será feito o tratamento, outra equipe já está esperando para fazer a transferência do paciente para a unidade de saúde. “O Estado oferece total assistência ao paciente removido”, frisou a diretora.

Lidiane ressalta ainda que enquanto esteve internado no HGR, Gilson Nunes recebeu todos os cuidados médicos necessários, quando então foi identificado que as possibilidades de tratamento em Roraima foram esgotadas. “Abrimos um processo de TFD [Tratamento Fora do Domicílio] tão logo foi solicitado, e desde então aguardávamos a resposta de vaga de UTI em hospital referência para o tratamento do paciente”, contou.

O paciente, que é professor, deu entrada no HGR apresentando odinofagia – dor durante a deglutição enquanto o alimento está passando pelo esôfago para chegar ao estômago, dor torácica e desconforto percebido em diversas formas e com localização na região anterior ou posterior do tórax, apresentando sudorese.

Esta é a terceira remoção realizada pela UTI aérea este ano. A primeira ocorreu em janeiro e a segunda, em fevereiro. Em 2015, o Governo do Estado disponibilizou 12 remoções de pacientes por meio da UTI Aérea.

Link original da matéria: http://www.portal.rr.gov.br/[:]

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
Back To Top